novembro 27, 2009

 Exatamente... em nós!




Foi naquele fluido suspiro, entremeio a rapidez que piscaram meus olhos e as dezenas de anos que te retrosceredam num instante mágico de caber perfeitamente em mim.
Exatamente aí eu te amei.
Te pude aceitar onde tua luz púrpura beijava meu semblante nu e inteiramente seu, e o teu olhar revelava carícias que somente minhas sentimentalidades saberiam decifrar.
Exatamente aí me senti sua.
Coubemos em perfeita sintonia num espaço de caber todo vão que um dia foi presente, e que hoje, atestado o repleto cheiro de alma, florescemos a magia daquele tempo em que ousamos nos encontrar. E nos amamos num continuismo singelo...
Exatamente aí me senti inteira.
Foi no seu corpo, cálice do meu prazer, que me senti levitar a uma dimensão que somente os seus desejos sabem me conduzir, e decifram minha pele como a um tato de infinito que somente a ti pertence.
Exatemente aí me senti mulher.
E impregnada do seu gosto, fui guiada por todos os nossos sonhos... E te levei ao sem fim do brilho das estrelas ao mesmo instante que você subverteu o que era adormecido num sentimento perene e me elevou ao ápice do caminho que me eterniza em seu olhar.
Exatamente aí percebi que somos um.

2 comentários:

Daniele Cezar disse...

exatamente aí é que a gente entende o doce valor de compartilhar a vida com alguém.

:)

beijos carinhosos, Iza!

Anônimo disse...

Que texto lindo..

envolvente!

Parabens..
Mto bom mesmo!