setembro 29, 2009

O amor do céu de avelã

Vou seguindo o rastro de tudo que explode dentro de mim. Toda essa sentimentalidade bonita e leve, e essa nudez que reflete tudo e qualquer mistério que eu tenha pensado em esconder de ti...e ainda assim, você insiste em viver nessa sua dimensão hermética, desconhecendo a verdadeira identidade que me fez te amar. E permaneço. Como quem sonha e não cansa.
Mas hoje meus olhos derramaram a saudade das boas intenções e desejos que um dia compartilhamos, e também do amor em paz que denominamos estância eterna do todo construído quando nossos olhos, ainda meninos, se encontraram.
Te acalmo dentro de mim. Quando, no auge de pensamentos tortuosos, o desenho de toda essa turbulência tenta se firmar em cicatrizes.
Mas o amor é mais!
E lembro de te dizer que nos bastaríamos na imensidão de nós dois. E lá chegamos, num céu formoso de avelã. E você, ainda que distante, sente esse aroma exalando amor suficiente para te fazer voar novamente aqui, onde por sua plena aceitação, fizeste morada em vida, em sonhos e em perspectivas.
Cultivamos cada pedacinho de sentimento e inventamos nossa maneira pura de amor. Impossível esquecer. E desistir não cabe a mim, dona dos meus e dos seus olhos.
Então sigo novamente no caminho que te encontro. Nosso amor pede mais!
Numa saudade em tom lilás, e o mesmo amor que sabe sempre como recomeçar.

5 comentários:

Vitor Andrade disse...

E recomeçar é sobrenome dos que amam!

Cris... disse...

Só quem nunca amou de verdade não dá chance ao recomeço. Recomece sempre Iza! E escreva, escreva...é lindo ler um amor assim! Bjão!

Ego. disse...

"Mas o amor é mais!"

E eu não tenho mais nada pra acrescentar...rs!

Linda da minha vida!

Felinea disse...

só a tua doçura para pintar um céu de avelã :))

beijos, minha querida.

O Profeta disse...

A meiguice dos teus olhos
Enternece a alma mais dura
Sei-te em cada batida de coração
Na verdade da água pura

A verdade da terra
De verdadeira verdade se veste a tua alma nua
O mundo conhece teus passos
O teu destino impresso nas pedras de uma rua

Mágico beijo