julho 04, 2009

"Ter saudade até que é bom,
É melhor que caminhar vazio
A esperança é um dom
Que eu tenho em mim..."


Uma chuva nostálgica no céu dos meus olhos...
E sua imagem palpitando na esquina dos meus pensamentos
Ainda com aquelas doze rosas vermelhas
Que nos enfeitavam de luz e bem querer.
Me caminho tão certa por dentro da sua saudade,
E no violão deixado no canto da sala
Suspiro ao desenhar seus traços quando dedilhando a nossa canção
E fazendo carícias no sol para amanhecer minha alma.
A saudade reforça e me toma, e eu já não sei de você
Para onde foi além de mim.
E o tanto amor que nos inspirava?
Deparei-me ainda agora com a raiz dos nossos sonhos
E sua poesia inacabada, para que meu amor pudesse entender.
Nuveando, dancei aquela valsa, que suavizava seu tom mi-fá-sol
E me embriaguei com o seu suor, cálice do meu querer.
Te trouxe por esse instante
Por não ser certeza os seus olhos de nunca mais
Acariciei-me e a ti, silenciosamente, no nosso jardim dentro do outro
E nas entrelinhas saboreei o prazer de um sem fim.
Te entrego por hora, essa flor-agosto de te beijar
E o céu azul celeste dos nossos sonhos afáveis
Nesse desejo que perdura, quando eu sei da sua volta
Na nossa completude, que não há espaço para o vazio caber.

4 comentários:

Jaqueline Sousa disse...

... porque havia proteção, cuidado, carinho; as horas passavam por despercebidas, onde o bem querer, o afeto, a reciprocidade, o dengo... Tudo era mútuo, leve, natural. És o motivo de tanta saudade!

Felinea disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Salve Jorge disse...

Saudade
Quando invade
Faz tudo parecer metade
E toda e qualquer novidade
Mera continuidade
Desse perder-se pela cidade
Esvanecer da vaidade
Sem você...

Ego. disse...

aff...
eu nem gosto de saudade rey!
mas assim, do seu jeito, dessa forma tão desenhada e linda, não tem cm não gostar!!!

IzaBELA 2 altos!
Te amo*